quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Deputado denuncia que grupo Sarney tem informações privilegiadas na Justiça


O deputado Julião Amin (PDT) denunciou, na manhã de ontem, o privilégio de informações que estão tendo os veículos do Sistema Mirante em relação ao processo movido pelo grupo Sarney contra o governador Jackson Lago. O parlamentar lembrou que o julgamento foi adiado e os advogados só tomaram conhecimento da decisão aproximadamente às 19h30. Mas, segundo ele, para surpresa de todos, já às 15h, as rádios maranhenses da oligarquia já divulgavam a notícia.
A mesma abordagem foi feita por um dos colunistas mais lidos do país, Cláudio Humberto, na terça-feira (16). “Desde as 15h, a rádio Mirante, em São Luis (MA), vem anunciando o adiamento do julgamento pelo Tribunal Superior Eleitoral do pedido de afastamento do governador Jackson Lago. Seis horas depois, no plenário do TSE, o presidente, ministro Carlos Ayres Britto, anunciou formalmente o adiamento do julgamento. A rádio Mirante é do grupo Sarney e o apresentador que anunciou várias vezes o adiamento do julgamento foi Geraldo Castro, no programa Abrindo o Verbo”, informou a nota.
“Eu me lembro que na época da falência do Banco Santos, quando houve uma intervenção na instituição financeira, Sarney recebeu a informação na véspera e sacou 2 milhões de reais. No Maranhão, estamos nos digladiando com uma pessoa muito poderosa na República”, enfatizou Julião Amin.
Ele recordou ainda que, em 1994, na véspera de uma disputa acirrada no Maranhão, os sistemas de computação ficaram paralisados durante cinco dias. Segundo ele, naquela ocasião, produziu-se um cadáver e foram utilizados o Supremo Tribunal Federal e a Procuradoria-Geral da República numa tentativa de produzir outra ação a exemplo do que está acontecendo hoje.
Forma ardilosa - O deputado demonstrou preocupação com a forma ardilosa com que determinados profissionais tentam produzir provas falsas para cassar o mandato de uma pessoa que foi legitimamente eleita pelo povo do Maranhão. Ele disse que as autoridades políticas e jurídicas precisam atentar para isso.
Julião reforçou ainda que a luta de Jackson Lago já dura 40 anos. “A eleição do governador não é comum. Ela vem se desenhando há décadas. Em 1994, ele já disputava pleitos, percorrendo de carro os 217 municípios do Estado. Naquela época, já obtinha 22% dos votos, e sem um cartaz, sem apoio de rádio, nem de jornal”, recordou.
Segundo o deputado, mais de dez mil pessoas ficaram nas praças, na noite da última terça-feira (16), protegendo o governador no Palácio dos Leões. “Houve mobilização em todos os bairros de São Luís”, frisou.




Reproduzido do Jornal Pequeno e no Blog do Jonh Cutrim

Um comentário: