quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Editorial do JP de hoje

Tensão Pré-Sarneysal, terror e pânico gerado pelo golpe

Duas perguntas no site “Libertação Animal” traduzem bem a capacidade que tem Sarney de fazer sofrer o povo maranhense: 1 – que capacidade é essa que nos impele para o mal e para fazer sofrer? 2 – Merecerá viver uma criatura porque racionaliza, mas usa essa capacidade para fazer sofrer ou merecerá antes uma cuja capacidade de sentir é desprezada e que só quer viver em paz?
São Luís viveu nos últimos dois dias, por conta da ganância desenfreada do senador José Sarney, um clima de tensão que não era sequer imaginável. No final do expediente as pessoas caminhavam com pressa para casa, os carros percorriam as avenidas em alta velocidade e as pessoas cochichavam nos cantos, nas paradas de ônibus, tentando entender como a vontade de um povo pode ser mudada sob o tacão da fúria tirânica de um único ‘semideus’.
O povo do Maranhão quer a paz, sempre quis, mas não a terá enquanto restar algum poder ao ‘Imperador de Curupu’. Ele atazanará, infelicitará, demonizará este povo até a exaustão, porque quer que ele pague pelo crime de tê-lo afastado do poder. E pouco importa que tenha sido pela via democrática, que essa vontade tenha sido manifesta nas urnas. Sarney odeia e odiará para sempre este povo e qualquer povo que ouse desafiar sua ‘divindade’ já garantida pela condição de ‘faraó mumificado’ no Convento das Mercês.
O povo maranhense vive hoje comprimido pelas incertezas, respira um ar rarefeito, sujeita-se, impotente, a um clima exasperante de dúvidas, medos e tensões.
Os sintomas são de falta de ar, de ausência de poder, de desordem neurológica, política e social. Sarney está conseguindo humilhar esta gente a um nível inaceitável. Está dizendo aos milhões de maranhenses convocados a escolher entre a oligarquia e a democracia que existe um homem mais poderoso que todos eles juntos: ele, José Sarney.
Não seria sequer imaginável viver tanto desconforto, irritação, ansiedade e depressão. Sem contar o cansaço de haver lutado tanto, 40 anos contados nos dedos, para, no final, chegar a lugar nenhum. Os filhos, netos e bisnetos deste povo (oh irremediável desgraça!) também poderão ser governados por Sarney.
Trata-se de um transtorno histórico jamais vivido no Maranhão, um distúrbio tão violento que, se concretizado, deixará marcas irreparáveis na carne, na alma, no peito.
“Se isto acontecer (a cassação de Jackson Lago) nunca mais eu voto no Maranhão. O Maranhão, o povo maranhense não merece o que estão fazendo”. É o que se ouve nas ruas de São Luís, é o que, impotentes, bradam os democratas e os milhões de eleitores ameaçados de ter sua decisão confiscada nos bastidores dos tribunais.
Parabéns, senador José Sarney. Ninguém jamais na História, tanto quanto Vossa Excelência, nem mesmo Nero ou Calígula, conseguiu fazer um povo inteiro se sentir tão infeliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário