quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A tortura institucionalizada

Em plena era das informações ainda podemos ver resquícios da ditadura. Governantes que em nome da manutenção do poder e da boa imagem do seu governo perseguem, massacram e torturam os que têm idéias contrárias as suas práticas governamentais e ousam denunciar.

No entanto, como os tempos são outros, utilizam de novas técnicas para torturar – não menos pervesas que outrora: minam suas lutas, corrompem aliados, financiam opositiores, mentem, demitem...

Tudo isso para humilhar e destruir aqueles que ousam se opor aos seus (mal)feitos. Assim destroem sua auto-estima, e o que é mais importante no homem: sua dignidade. Seus objetivos: fazê-los desistir de suas lutas e calarem-se. Na prática isso é o mesmo que queriam os chefes daditadura militar.

A estes atos de tortura poucos (somente os fortes) sobrevivem.

É o que tem acontecido por aqui (em Coroatá) ano após ano, entra e sai governo. Talvez por isso temos tão poucos cidadãos, lideranças sociais comprometidas com mudanças, com o bem comum. É grande o número de desistentes quando os os primeiros sinais desta ditadura institucionalizada começa lhes atingir.

Não podemos esquecer que os tempos da ditadura findaram-se e vivemos a aurora da democracia, onde somos livres para pensar e proferir nossos ideais, onde elegemos e podemos desaprovar nossos governantes.

O que não podemos é deixar de acreditar que nunca é tarde para recomeçar a escrever a história. Que apesar de muitos exemplos de políticos corruptos e incapazes, precisamos acreditar e lutar, na esperança de encontrar alguém diferente para governar.

O que não podemos é desistir, vamos resistir. E tirar os safados do poder. A começar pelas eleições deste ano.

À luta.

3 comentários:

  1. Bom dia Amigo,Cleo F.


    Obrigado pelas palavras e pela visita,é uma alegria vê-lo denovo na blogosfera!
    Ah!com muito luta estamos trazendo a Cufa para Nunes Freire!


    Ah! volte sempre!

    Se cuida!

    ResponderExcluir
  2. Boa noite,amigo Cleo!

    Sou fão do teu blog,continue assim...

    amigo,qual é a realidade do movimento estudantil?

    Atualmente a juventude, principalmente a classe estudantil estar muito a mercê da política partidária, um exemplo disso é movimento estudantil (Movimento que tem grande porcentagem de jovens), a cada dia a partidarização toma conta desse movimento, prova disto é o crescimento da militância partidária no Brasil.
    A militância partidária na diretoria de entidades representativas enfraquece o Movimento Estudantil, desmonta a base motora do mesmo e desvia o foco de atenção dos estudantes de suas causas e necessidades, centralizando a discussão em problemas e causas partidárias.
    Defendo que a militância partidária é saudável, desde que feita fora do Movimento Estudantil. O verdadeiro Movimento Estudantil existe quando estudantes fazem políticas para estudantes e atendem aos interesses da classe estudantil, não aos interesses dos partidos a que são filiados.
    Os partidos quando se envolvem acabam transformando os movimentos estudantis em cobaias e palanques eleitorais, influenciando e alterando radicalmente agenda do movimento.

    Você acha que o movimento estudantil pode ou não estar envolvido com a política partidária?

    acesse e me responda:

    http://marcosleitte.blogspot.com


    MARCOS LEITE.

    ResponderExcluir
  3. Ola Cleo,
    Você optou por uma boa luta.
    Estou seguindo seu blog – visite o nosso.
    Temos também uma Rede Social Cristã, onde você poderá ter a sua página para divulgar o lindo trabalho do seu blog. Entre em http://doutrinacrista.ning.com/ e seja membro.
    Fique na paz de Cristo.
    A ideologia não se mantém pelo que você domina, mas com o que você pensa e idealiza (LC).
    Grande abraço
    Luiz Clédio

    ResponderExcluir