domingo, 16 de novembro de 2008

CARTA À JUVENTUDE DE COROATÁ

Jovens Protagonistas, unir-mos!

“A argamassa fundamental de nossa obra é a juventude,
em que depositamos nossa esperança e a quem
preparamos para tomar de nossas mãos a bandeira”

Che Guevara

Diante da ausência de todos os representantes de entidades convocadas e de membros da Comissão Executiva à Plenária Ordinária do nosso Fórum Municipal da Juventude, marcada para o último dia 15 de novembro, vejo que mais uma vez fracassamos enquanto movimento que busca sua organização e afirmação. E sei que enquanto o fracasso fizer parte deste movimento não seremos creditados e respeitados diante de nossos governantes (Prefeito, Vereadores, Secretários) e sociedade.

Vejo que poucos são os jovens interessados na construção do protagonismo para o empoderamento juvenil, o que existe em demasiado são pseudo-lideranças egocêntricas que, assim, promovem a desconstrução desta luta.

Precisamos construir um movimento de juventude baseado no companheirismo se desejamos alcançar nosso(s) objetivo(s). É necessário conquistas nosso espaço, construir a história do nosso jeito. Não dá para continuar sendo apenas massa eleitoral, nossa obrigação com os nossos ideais é passar a ser protagonistas de nossa vida e da vida sócio-política de nosso município.

Sempre é o momento de esquecer as particularidades que nos distanciam para caminharmos juntos, de mãos dadas, se quisermos uma juventude organizada e participativa.

Não podemos, jamais, permitir que nestes momentos iniciais da organização de nossa juventude deixemos que os interesses individuais sobreponham-se ao(s) coletivo(s).

Precisamos organizar os grêmios escolares, os jovens da zona rural, a mocidade evangélica, a juventude partidária e jovens dos demais movimentos sociais, para que assim sejamos ouvidos pelos poderosos e para que sejamos donos do espaço político que é nosso por direito. É papel das lideranças verdadeiras estarem unidas para tornar esta utopia realidade.

Porém, enquanto não houver esta integração de nada adianta a luta, seremos como “pitbulls” dilacerando-se por um pedaço de bife que nem ao menos lhes foi dado. Só teremos uma Política Municipal de Juventude de verdade quando o Governo Municipal perceber que estamos juntos, organizados, portanto merecedores desta política.

A luta para que sejamos ouvidos e respeitos pelos companheiros, pela sociedade e pelos donos do poder, não pode ser a missão de um, dois ou três, tem que ser missão de todos.

Cleo Freitas
Secretário Municipal de Juventude do PSB

Nenhum comentário:

Postar um comentário