quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

6ª Bienal de Cultura da UNE: quase lá...


A 6ª Bienal de Cultura da UNE: Raízes do Brasil: formação e sentido do povo brasileiro — a se realizar de 20 a 25 de janeiro, na cidade de Salvador (BA) — além de trazer renomados nomes da cultura nacional, pode revelar novos talentos. De 1.506 trabalhos inscritos, a Mostra Estudantil da bienal apresentará 138 selecionados de diversos estados em seis categorias: Artes Cênicas, Artes Visuais, Ciência e Tecnologia, Música, Cinema e Literatura. O encontro estima atrair 15 mil pessoas.

Movimento das bienais gera oportunidades

Mais do que um dos motores que fazem girar o movimento das bienais protagonizado pela UNE desde 1999 — ano da realização da 1ª Bienal — as mostras estudantis foram decisivas para a atual retomada do trabalho cultural da UNE.

Foi a partir delas que a entidade lançou na 3ª Bienal: Nossa cultura em movimento — realizada em 2001 na UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) — o seu Cuca (Circuito Universitário de Cultura e Arte); hoje já um Instituto responsável pelo constante trabalho da UNE no movimento cultural e coordenador de diversos Pontos de Cultura espalhados pelo país.

O Cuca nasceu inspirado na experiência do CPC (Centro Popular de Cultura) — espaço que marcou a resistência cultural-estudantil à ditadura militar dos anos 60, além de reunir artistas consagrados como Glauber Rocha, Gianfrancesco Guarnieri e Carlos Lyra –, e busca estabelecer um canal aberto e permanente de difusão, promoção e intercâmbio da produção cultural realizada dentro e fora das universidades do país.

Com o Cuca, os estudantes também deixaram de ser apenas participantes das mostras estudantis das bienais para se tornarem fundamentais na concepção e organização do evento.

Palco de conquistas


A 5ª edição da Bienal, sediada na Fundição Progresso em 2007, na cidade do Rio, se valeu do tema Brasil-África: um rio chamado Atlântico para acrescer personalidades e artistas africanos à presença de reconhecidos artistas negros do Brasil.

O encontro na 5º Bienal não foi apenas entre dois continentes. Ele também culminou com a volta da UNE e da Ubes para casa. No dia 1º de fevereiro de 2007, a tradicional Culturata da Bienal terminou em uma exitosa ocupação, protagonizada por milhares de estudantes, ao terreno da Praia do Flamengo, número 132.

Uma trienal com Coneb

Um das novidades desta 6ª Bienal da UNE — edição que marca a chegada aos 10 anos de bienais na cidade onde nasceu a primeira: Salvador — será a 1ª Trienal Latino Americana de Estudantes da Oclae, que homenageará o célebre brasileiro Darcy Ribeiro.

Outra marca da 6ª edição será a realização inédita de uma bienal antecedida de um Coneb (Conselho Nacional de CAs e DAs - centros e diretórios acadêmicos). O 12ª Coneb — a se realizar de 17 a 20 de janeiro também em Salvador — terminará iniciando a abertura da 6ª Bienal. Mais de 2.300 entidades se credenciaram no fórum organizado para receber cinco mil lideranças estudantis.

Para saber mais visite o site da União Nacional dos Estudantes e o blog Cuca Bienal.

Com informações do site E aí Blz? e do blog do Cuca UNE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário