quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Vira-latas X Pit Bulls

Baseado na minha fala na Plenária da reunião do Fejma, onde eu disse que eu era apenas um vira-lata entre tantos pit bulls ali presentes e não merecia a perseguição de ninguém, com tem acontecido desde que entrei para o movimento de juventude e decidi que não serei aliado deste grupo que tenta, a todo custo, dominar nossos espaços de poder, meu opositores apelidaram todos nós de "Os Vira-Lata" (eu, Mauro Macedo, Dayana Roberta, Rafael Oliveira, e quem mais meter-se no caminho deles).

Gostaria de não me pronunciar sobre isso, mas eu acho isso uma tremenda falta de respeito, e não por ser comparado a um vira-lata que são bichinhos mais honrados que eles. Mas não dá para não responder. Não vou ficar calado mais uma vez.

Para mim ser comparado a um vira-lata não é tão ruim assim, já que até Barack Obama foi comparado a um desses bichinhos pelo jornalista Caio Blinder na reportagem “Com Obama, finalmente um vira lata no poder”, leia a nota elogiosa clicando aqui.

Ou quem não lembra de vários casos nos quais esses cachorrinhos, para salvar seus filhotes, crianças ou donos viraram uma fera até contra pit Bull, eis apenas um desses exemplos: “Vira-lata salva dono de ataque de pit Bull” (Globo.Com)

Um abraço aos companheiros Mauro Macedo, Dayana Roberta, Rafael Oliveira, Alex Popping, e a todos que me fizeram o orador mais aplaudido da manhã do dia 07, em Caxias. E aviso aos que estão visitando o meu blog em busca da nota sobre aquela reunião, digo-lhes que não esqueci, de hoje não passa. Até mais.

Não podemos esquecer:

Em um 11 de fevereiro como o de hoje em 1990 o grande líder pela libertação da África, Nelson Mandela, foi libertado (veja vídeo), deixemos de bobagens e tomemos o seu exemplo de luta.

2 comentários:

  1. Gente se for pela cara, é um vira lata mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Certo vejamos nao sabia que me colocaram nesta confusão, mais entendi que realmente a carapuça serviu e por tanto percebi que no meio de tanta confusão nos acabamos realmente percebendo quem quer de verdade discutir a necessidade dos jovens neste estado.

    ResponderExcluir