sábado, 19 de junho de 2010

Petistas estão livres para fazer campanha para Flávio Dino

Os militantes petistas estão liberados para fazer campanha para Flávio Dino livremente. É essa a principal determinação do acordo assinado entre o Diretório Nacional petista e a secção maranhense da legenda. O acordo pôs fim à greve de fome de Manoel da Conceição e Domingos Dutra, que já durava uma semana, e de Terezinha Fernandes, que já durava cinco dias.

Na tarde de ontem, o pré-candidato ao governo do Maranhão, deputado federal Flávio Dino, visitou Terezinha Fernandes na sede do Diretório Estadual do PT, onde ela estava acampada desde segunda-feira. Flávio Dino conversou com Terezinha e com os militantes presentes, antes de sair para cumprir agenda de pré-campanha em São Luís Gonzaga.Ele agradeceu e pediu aplausos para o esforço e a coragem dos três militantes em greve de fome.

“Fiz diversos apelos para que esse protesto extremo fosse interrompido. Lamento que medidas tão drásticas tenham sido tomadas. Mas também, como fiz ao longo de todos esses dias, me solidarizo e homangeio um gesto tão corajoso, que nos deu uma vitória”, disse Flávio Dino.

Na prática, a decisão autoriza os petistas a fazer campanha para quem desejarem, desde que não ultrapassem o raio de alianças construídas pela legenda nacionalmente. “É a garantia institucional de que este setor, que hoje compõe a maioria do PT maranhense, vai poder marchar ao nosso lado. Essa é a melhor mídia que temos hoje: a da sola de sapato”, garantiu o pré-candidato.

“Água fria”

Em visita ao diretórioMaranhense para homologar o acordo, os integrantes do Diretório Nacional Markus Sokol e Renato Simões prestaram solidariedade ao impasse vivido pela legenda nas últimas semanas, e também manifestaram apoio a Flávio Dino. Para Sokol, a presença de José Sarney e Roseana Sarney na candidatura da ex-ministra Dilma Roussef pode trazer mais prejuízos que benefícios. “A presença da Roseana foi um fator de desmoralização da militância petista, que em vez de ajudar a conseguir votos joga água fria no projeto”, disse ele.

O Secretário de Movimentos Sociais do PT, Renato Simões,também criticou a aliança com o PMDB no Maranhão. “Nem esse grupo vai conseguir dar três milhões de votos para a Dilma, nem a Roseana vai conseguir a militância do PT”, falou, referindo à parcela petista defensora dos Sarney. Simões encorajou a candidatura de Flávio Dino, apontando-a como a melhor alternativa para o Maranhão. “É uma candidatura que tem todo o potencial para ser abraçada pelo povo do Maranhão, e vai ser esse pólo que vai fazer a diferença no processo eleitoral”, avaliou ele.

No final da tarde de ontem, os militantes saíram em caminhada pelas ruas do centro, com bandeiras, cartazes e carro de som. Aos gritos de “O Maranhão não se engana, o PT não é de Roseana”, o grupo distribuiu panfletos que explicavam o impasse vivido pelo partido nos últimos dias, o apoio forçado a Roseana Sarney e a luta de Manoel da Conceição. O documento também convidava os cidadãos do estado a se juntar ao grupo, em defesa da democracia, liberdade e justiça. “Não podem governar a nossa vontade e nem o nosso voto”, diz o panfleto.

Redação: Assessoria de Comunicação do PCdoB/MA

Nenhum comentário:

Postar um comentário