quarta-feira, 22 de abril de 2009

2 anos em favor da diversidade sexual

Escrita originalmente para o jornal Folha de Coroatá

Em outubro de 2006 três pessoas reuniram-se para criar uma associação de defesa dos direitos humanos, pela cidadania de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) e pela promoção de informações acerca da prevenção às DST/HIV/Aids com a população coroataense. A entidade em questão é a Associação Grupo Respeito que nasceu há pouco mais de dois anos após a participação de Osman Sales no I Encontro de Homossexuais do Maranhão e Piauí realizado pelo Projeto Somos, a convite do Programa Municipal de Prevenção às DST/HIV/Aids.

Logo após sua fundação o Grupo Respeito se tornou parceiro do referido programa na divulgação da prevenção entre outros segmentos de comportamentos vulneráveis, tido como minorias sociais (prostitutas, garotos de programas e Homens que fazem sexo com Homens – HSH).

Desde sua criação o grupo cresceu, mas, segundo a direção, o número de participantes não se aproxima nem de longe do número de homossexuais existentes no município que, segundo estatísticas da entidade, iguala ou se aproxima a 6.500 (dado baseado em pesquisa internacional que afirma que 10% da população mundial é formada por homossexuais).

Durante os seus dois anos de atividade a entidade participou de algumas paradas – duas delas em São Luis -, conferências, fóruns, seminários, tendo realizado um encontro municipal dedicado ao segmento e palestras em escolas.

A visibilidade da instituição no município, segundo a direção, tem refletido nestes anos no aumento da auto-estima das pessoas LGBT e na diminuição de atitudes homofóbicas (discriminação por orientação sexual). Mas, ainda segundo a organização, a discriminação contra os homossexuais ainda ocorre bastante, sendo necessário que representantes da associação visitassem por duas vezes a delegacia local para relatar casos de violência ou ameaça contra homossexuais. O ministério público e o juiz de direito da Comarca de Coroatá também já receberam diretores da entidade para tratar de assuntos do interesse do segmento.

Nestes últimos anos, visando a melhoria da atuação da Associação Grupo Respeito, a diretoria foi reformulada, ficando à frente da mesma, desde novembro de 2008, o jovem ativista social e militante partidário Cleo Freitas, de apenas 22 anos.

O diretor em exercício da entidade anuncia para o mês de junho deste ano o 2º Encontro Municipal de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros para comemorar o dia mundial do orgulho gay (28 de junho). O encontro será realizado com o apoio dos Programas Municipais e Estaduais de Prevenção às DST/Aids e contará com a presença de palestrantes da capital e convidados de cidades vizinhas, como Timbiras, Codó e Peritoró. Para o diretor este “encontro vem suprir a ausência de uma parada gay na cidade, já que em nosso município ainda não estar preparado para sediar uma festa da diversidade sexual, nem a população nem os próprios homossexuais”.

O segmento que antes era encarado pela sociedade como um incômodo atualmente é reconhecido com ações governamentais como o Programa Nacional de Combate a Homofobia – Brasil Sem Homofobia do governo federal, tendo conquistado em alguns estados e municípios brasileiros leis que punem a discriminação sexual. No Maranhão, onde acontece anualmente uma das maiores paradas da diversidade do Nordeste, existe uma lei que coíbe e pune a discriminação por orientação sexual, trata-se da lei 8.444/2006, tão pouco usada em defesa do segmento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário